03 ago 2017

DICAS PARA TER SUCESSO NO MICRO E PEQUENO EMPREENDIMENTO

Muitas pessoas já devem ter escutado que “empreender por vocação” é o segredo para o sucesso. Este pensamento não está equivocado. Mas, para ter uma empresa bem-sucedida e vida longa nos negócios, não basta apenas gostar do que se faz, o empreendedor deve, antes de qualquer coisa, ter a coragem para repensar os caminhos que poderão levar o negócio a prosperar ou fracassar e equilibrar muito bem paixão e habilidade.

É necessário também escolher bem o segmento em que vai atuar, se planejar, ouvir os clientes e persistir na dura, porém prazerosa missão de empreender. “A pergunta que todo empreendedor deve-se fazer é: será que, após a abertura do meu próprio negócio, saberei transformar o empreendimento em sinônimo de sucesso? ”, questiona José Benício de Oliveira Neto, diretor executivo da ABSCM – Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito, que atua há mais de 40 anos no mercado financeiro.

O executivo enumerou as principais características do empresário de sucesso, e dá conselhos essenciais que podem ajudar o empreendedor, nato ou postulante, a ter um negócio de sucesso. Confira.

Invista em um segmento com o qual você se identifique

Sabe aquela ideia de fazer o que se gosta, e que para muitos parece algo impossível? Pois é exatamente disso que estamos falando. Além disso, quanto mais você se identifica com a atividade e a área na qual escolheu atuar, maior a sua motivação para investir o seu tempo em aprender tudo o que puder, aperfeiçoando o seu desempenho e aprimorando constantemente o desenvolvimento do próprio negócio. No caso de micro e pequenos empresários, que já possuem um empreendimento pelo qual não se sentem pessoalmente “atraídos”, mas no qual vislumbraram uma ótima oportunidade, a dica também se aplica. Afinal, embora o investimento possa não corresponder àquilo que se gosta, sempre é tempo de aprender a gostar daquilo que se faz, não é mesmo?

Planeje-se o máximo que puder

Sim, “planejar” não somente à iniciativa, mas à administração do negócio como um todo. Desta forma, é essencial organizar os recursos humanos, materiais e financeiros de modo a garantir, tanto quanto possível, que o micro ou pequeno empreendimento seja tocado com tranquilidade, incluindo-se aí a antecipação de imprevistos. Portanto, lembre-se de que pensar a curto/médio/longo prazo, definir metas, avaliar as alternativas possíveis, monitorar resultados e rever procedimentos são tarefas que impactam diretamente no sucesso do seu micro ou pequeno negócio.

Ouça os seus clientes

Mais do que simplesmente disponibilizar produtos e/ou serviços, qualquer negócio é feito prioritariamente para alcançar pessoas. Assim, é preciso não perder de vista que os produtos e/ou serviços são os meios, e não um fim em si mesmo. Por essa razão, a qualidade do atendimento ao cliente deve estar entre os principais cuidados do micro ou pequeno empreendedor. Conversar com ele, ouvir a sua opinião, considerar o seu feedback (ainda quando este não seja tão positivo) são ações fundamentais para que você identifique o que deve ou não ser preservado e/ou melhorado na sua atuação.

Persista

Persistência sim, teimosia não. Dizendo de outro modo: é necessário que o micro ou pequeno empresário saiba distinguir um comportamento de outro. Afinal, não desistir diante de quaisquer dificuldades (ou diante de desafios naturais ao processo) é diferente de insistir. Por exemplo, continuar ofertando um produto e/ou um serviço que não tem aceitação do público.

Seguindo essas regrinhas e fazendo o que gosta, seu negócio pode ter vida longa.

Fonte: Revista Dedução

Share this
16 jan 2017

PAGAMENTO EM CARTÃO AMPLIA POSSIBILIDADE DE VENDA NOS PEQUENOS NEGÓCIOS

A aceitação dos cartões de débito e crédito é realidade em apenas 39% das micro e pequenas empresas. O número é de uma pesquisa inédita realizada pelo Sebrae. Entre os empreendedores que aceitam crédito e/ou débito como pagamento os resultados são positivos, com aumento da satisfação dos clientes para 71% dos entrevistados, crescimento de vendas para 57% e aumento do faturamento para 55%.
“Os pequenos negócios que se organizam para operar com as máquinas de cartão levam vantagem e têm mais chance não apenas de sobreviver, mas também de crescer em plena crise”, observa o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.
O estudo apontou que, geralmente, quanto maior o porte do pequeno negócio, mais comum é o uso das maquininhas. Os cartões de débito e/ou crédito são aceitos em 65% das empresas de pequeno porte – que faturam até R$ 3,6 milhões por ano – e por somente 28% dos microempreendedores individuais (MEI). Já o recurso da antecipação do recebimento das vendas é usado constantemente por 28% dos empreendedores e, nesse caso, predominam os MEI.
Entre os empresários que não usam máquina de cartão, 79% apontam preferir outras formas de recebimento e 55% relatam estar com baixo volume de vendas. Eles mudariam de ideia caso houvesse um equipamento que aceitasse todos os cartões (76%), se recebessem o valor das vendas em um prazo menor (73%) e se fossem reduzidos os custos de compra, aluguel ou manutenção e as taxas de descontos e antecipação, alternativas citadas por 70% deles.
Fonte: Agência Sebrae de Notícias
Share this

© 2016 Priccon Contabilidade. Todos direitos reservados.

Subir